quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Aprenda a ser criativo



O mercado digital mudou mais uma vez. Os outrora todos poderosos Facebook Ads e Google AdWords se não estão saturados, não possuem mais a relevância de anos atrás. A dinâmica do universo digital mais uma vez levantou o sarrafo e agora, para aparecer, as empresas tem que ter conteúdo. Conteúdo de VÍDEO.

O Facebook não esconde de ninguém que quer rivalizar com o YouTube como plataforma para conteúdo de vídeo. Mas parece que Zuckerberg, ao comprar essa briga, impulsionou sobremaneira a já crescente produção de conteúdo digital de vídeos.

Na última VidCon - maior feira de produção de conteúdo do mundo - foram debatidos e apontados que o conteúdo de vídeo iria, cada vez mais, ganhar espaço nas redes sociais e se tornar a principal forma de consumo de conteúdo em 2018. Em virtude disso, os gigantes da web estão investindo pesado para ver quem será a principal plataforma digital de vídeos nos próximos anos.

O YouTube sai na frente por ter, entre todas as demais plataformas, a maior audiência e a "melhor" remuneração para os produtores de conteúdo. Esse melhor veio entre aspas porque nos últimos anos, principalmente em 2017, vários YouTubers contestaram a forma como a plataforma passou a remunerar os vídeos consumidos pelo público. Mas, sem querer passar a mão na cabeça do YouTube, ele ainda é a melhor - e mais lucrativa - plataforma para os produtores de conteúdo.

O ano de 2018 será o ano da virada. Do que? Acredito da consolidação definitiva dos conteúdo de vídeos como o principal produto digital a ser consumido pelo público. Não falo só de YouTube, mas sim de histories, do Instagram, do Snapchat (ainda relevante) e de outras tecnologias novas que surgirão nesse ano que mal começou.